DIFERENÇA ENTRE ÚLCERA ARTERIAL E ÚLCERA VENOSA

DIFERENÇA ENTRE ÚLCERA ARTERIAL E ÚLCERA VENOSA

As úlceras arteriais e as úlceras venosas , estão entre as maiores causas de feridas nas pernas. Para os olhos de uma pessoa leiga, estas feridas podem ser parecidas. No entanto, ambas têm causas e características bem diferentes.

Saber distingui-las é importante para que o tratamento seja adequado e para que o paciente e as pessoas à sua volta possam ajudar nos cuidados da ferida da maneira correta.Um erro de diagnóstico, a automedicação e a adoção de medidas incorretas para tratar estas úlceras podem levar até mesmo a uma piora do estado de saúde do paciente. Apresentamos a seguir as diferenças entre úlceras arteriais e venosas de maneira fácil e acessível.

Quais são as causas das úlceras venosas e arteriais?

Antes de apresentar as diferenças entre as úlceras, vamos citar uma característica que elas têm em comum: ambas são provocadas por problemas circulatórios. A função das artérias é levar o sangue por todo o corpo, enquanto as veias fazem o processo contrário, conduzindo o sangue de volta para o coração.

Úlceras venosas: neste tipo de lesão, o sangue não consegue retornar para o coração e acaba se acumulando nos membros inferiores, ou seja, nas pernas. Por isso, estas ficam inchadas, aumentando a pressão nas veias, que acabam por se romper, levando ao surgimento de lesões.

Este rompimento pode ser facilitado por batidas, ou traumas, nas pernas. É por este motivo que levantar o membro afetado alivia a dor e os sintomas: o sangue circula melhor no caminho de volta para o coração.

Úlceras arteriais: esta úlcera é causada pela interrupção da circulação do sangue nos membros inferiores: como o sangue não consegue chegar às pernas, o oxigênio e os nutrientes não alimentam os tecidos da perna, que acabam por morrer (necrose) e dão origem às úlceras. Esta é a razão pela qual um paciente de úlcera arterial não deve elevar a perna atingida, pois a circulação do sangue fica ainda menor e a dor aumenta.

Quais as características das úlceras?

Úlceras venosas: as feridas costumam aparecer no terço médio da perna e na parte de trás do tornozelo. As bordas do ferimento são irregulares e a pele em volta da ferida fica bastante quente, além de ter uma cor escura, chamada comumente de “dermatite ocre”. Costumam sangrar facilmente e apresentam um odor bastante forte e característico.

Úlceras arteriais: as feridas são mais rasas que as úlceras venosas, possuem bordas regulares e esbranquiçadas. Não há inchaço nas pernas ou na região ao redor da úlcera. Quase não sangram, e quando apresentam alguma secreção, costuma ter aspecto de pus. Também exalam um odor nauseante. A pele em torno da ferida fica fria e pálida.

Veja também: Conheça nosso curso online para tratamento de feridas

Quais os sintomas da úlcera venosa e da úlcera arterial?

Úlcera venosa: sensação de peso nas pernas, inchaço, cansaço excessivo, dores principalmente no período da tarde, formigamentos e cãibras frequentes. Ao se caminhar ou ficar muito tempo de pé, as dores aumentam, mas a elevação dos membros diminui os sintomas. A pele no entorno da ferida fica quente e inflamada.

Úlcera arterial: dores intensas, dificuldade para por o membro no chão e caminhar. Geralmente a dor é maior quando se caminha e diminui ao parar. A pele ao redor da lesão fica fria. Os sintomas não diminuem quando se eleva o membro afetado. Queda de pelos e espessamento das unhas. A dor costuma piorar à noite. Diminuição do pulso nos membros atingidos.

Quais os tratamentos para cada tipo de úlcera?

Úlceras venosas: o tratamento é feito com medicamentos, como antibióticos para a infecção que costuma decorrer das feridas, com a limpeza adequada e frequente dos ferimentos, uso de meias de compressão e elevação da perna afetada. Em casos mais graves, pode-se recorrer à cirurgias, com enxerto ou não de tecidos.

Úlceras arteriais: o tratamento também é feito com medicamentos, podendo-se tratar alguma infecção que possa surgir, assim como pomadas ou membranas que auxiliam na cicatrização das úlceras. Não se deve utilizar compressão do membro afetado em hipótese alguma, assim como não se deve elevar a perna ferida. Estes procedimentos podem agravar o estado de saúde do paciente.

Em ambos os casos, o tratamento também deve ser focado nos fatores de risco e nas doenças que levam à má circulação do sangue, como diabetes, arteriosclerose, pressão alta, tabagismo, sedentarismo e obesidade.

Quais os métodos de prevenção de cada tipo de úlcera?

Além de tratar as chamadas doenças de base, existem alguns cuidados que podem ser tomados na prevenção do surgimento deste tipo de ferimento.

No caso das úlceras venosas, deve-se evitar passar longos períodos sentado ou em pé, evitar banhos muito quentes e uso de saunas, pois quanto menor a temperatura da água, mais a circulação sanguínea é estimulada.

Para evitar as úlceras arteriais, deve-se inspecionar com atenção pernas e pés, em busca de feridas que não cicatrizam e frieiras, manter a pele sempre seca e hidratada, não usar meias e sapatos que apertem os pés.

Em ambos os casos, manter bons hábitos de alimentação e praticar atividades físicas, se possível, ajuda a evitar o surgimento dos dois tipos de úlceras nas pernas.

E sempre procurar acompanhamento médico, seguir o tratamento não apenas das úlceras, como também das doenças que levam ao seu surgimento. Isso aumentará as chances de cura e a cicatrização das úlceras venosas e arteriais.

Deixe uma resposta