FERIDAS NA PERNA: PRINCIPAIS CAUSAS

FERIDAS NA PERNA: PRINCIPAIS CAUSAS

O aparecimento de ferida na perna é mais comum do que se imagina e pode ter várias causas. Inclusive, é um dos maiores motivos de afastamentos do trabalho e aposentadoria precoce. Estão associadas a uma série de fatores, como idade, peso, presença de diabetes e má circulação, dentre outros.

Podem ser de tratamento mais simples, mas é bem comum que sejam crônicas, comprometendo o funcionamento saudável dos membros inferiores e requerendo tratamentos prolongados e algumas vezes dolorosos.

Não raro o paciente que apresenta uma ferida crônica sofre com o isolamento social e a perda da capacidade de fazer tudo aquilo a que estava acostumado, o que pode ser motivo de sofrimento.

Nestes casos, é preciso não apenas tratar a ferida, mas a causa que leva ao aparecimento desta úlcera.

Neste artigo, vamos listar as mais comuns e o que você pode fazer caso esteja com este problema.

Causas comuns das úlceras de perna

As chamadas úlceras de perna podem ter tamanhos e formatos variados e atingir a pele em níveis diferentes. Dentre os fatores que levam ao aparecimento deste tipo de ferida na perna, estão os fatores internos, como embolias, coágulos sanguíneos, doenças como a diabetes e a pressão alta.

Dentre os fatores externos mais comuns, estão os traumas ou batidas nos membros, sedentarismo, obesidade, tabagismo e consumo de álcool. Outras doenças como a artrite reumatoide, a leishmaniose, a tuberculose e alguns tipos de anemia, assim como problemas de circulação, podem levar ao surgimento de uma úlcera na perna.

Tipos de ferida na perna mais comuns

Úlcera Varicosa

É uma doença causada pelo acúmulo de sangue nas pernas. Costuma ser crônica e mais frequente em pessoas acima dos 50 anos. Na faixa dos 70 anos, ocorre mais em mulheres. Nestas pessoas, se dá um problema de circulação que faz o sangue não ter força suficiente para chegar ao coração. Assim, ele se acumula nos membros inferiores, causando o escurecimento da pele e o endurecimento das veias desta região.

Começa com o avermelhamento da pele e o aumento da temperatura na região atingida, ou seja, a pele fica vermelha e quente. Há uma sensação de inchaço nas pernas, que melhora ao se colocar os membros para cima.

Além disso, o paciente sente cansaço e coceira na parte afetada. A ferida, a princípio, costuma não doer, porém se houver infecção a úlcera se torna bastante dolorosa. Atinge a parte inferior das pernas, abaixo do joelho e acima do tornozelo.

O tratamento é feito com compressão da perna com ataduras ou meias especiais para este fim, antibióticos, se houver infecção, e limpeza constante das feridas, além da aplicação de pomadas ou cremes com corticoide em sua composição.

É muito importante manter o local afetado sempre limpo. Pode haver a possibilidade de se fazer um enxerto de pele, e é o médico quem irá decidir a melhor forma de tratar as úlceras.

Exercícios físicos moderados e repouso também podem ser de grande ajuda para a diminuição dos sintomas. O tratamento costuma ser demorado, e caso as feridas demorem para cicatrizar, é preciso seguir com o tratamento pelo resto da vida.

Úlcera Arterial

Frequentemente causada pela arteriosclerose, a úlcera arterial tem como características dor intensa, vermelhidão, inchaço e calor no local.

Costuma apresentar queratose, que é o endurecimento da pele pelo excesso de queratina, além de ausência de pelos e necrose (morte dos tecidos). A dor costuma piorar quando se eleva o membro. As úlceras arteriais têm bordas uniformes.

O tratamento é semelhante ao das úlceras varicosas, com cremes, antibióticos e limpeza das feridas. Deve-se evitar bater os membros afetados.

Erisipela

A erisipela, ao contrário dos outros tipos de úlcera na perna, é causada por uma infecção na parte mais superficial da pele dos membros inferiores. Ocorre quando através de uma “porta de entrada” – um arranhão ou pequena ferida – algum tipo de bactéria se instala na pele e causa os ferimentos.

Os sintomas são vermelhidão, inchaço, coceira e dor no local de surgimento da úlcera. Existem alguns fatores que facilitam o surgimento da erisipela, como pequenas feridas entre os dedos causadas por micoses, ter algum corte nos pés ou nas pernas, inchaços, estar acima do peso. Neste caso a bactéria penetra pelo corte já existente e ocasiona o aparecimento da erisipela em outro ponto do membro inferior.

O tratamento é feito através de antibióticos, via oral (comprimidos) ou injetáveis. É muito importante tomar o antibiótico em todos os dias prescritos pelo médico, mesmo que a ferida apresente melhora, para que a bactéria seja totalmente combatida pelo organismo.

Celulite infecciosa

Este tipo de ferida nas pernas é bem semelhante à erisipela. O que a diferencia é a profundidade da infecção: enquanto na erisipela ela é apenas superficial, na celulite infecciosa atinge as camadas mais profundas da pele.

Neste caso, a entrada da bactéria no organismo se dá por algum corte ou ferida já existente na perna, assim como na erisipela. Normalmente, estas bactérias fazem parte da flora que habita na superfície da pele, sem causar problemas.

Ao entrar na corrente sanguínea e atingir os tecidos, no entanto, ocorre a infecção. O tratamento também é semelhante ao da erisipela, através de antibióticos. Se não houver melhora com o uso de antibióticos por via oral ou injetável, pode ser necessária a internação. Dependendo do estado da ferida, é preciso intervenção cirúrgica para tratá-la.

Importância do diagnóstico médico

Ao se notar o surgimento de alguma ferida na perna, que apresente os sintomas citados e demore para cicatrizar, é imprescindível procurar o profissional de saúde.

Somente o médico está capacitado para indicar o melhor tratamento e quanto mais cedo este começar, mais eficaz será.

Feridas nas pernas podem se tornar problemas crônicos e o tratamento precoce ajuda a evitar consequências mais sérias.

Deixe uma resposta