fbpx

Esfacelo na ferida: o que é como tratar

Enfermeiro coloca curativo em ferida com esfacelo

É muito comum na rotina de profissionais da saúde se deparar com pacientes com esfacelo na ferida.

Como sabemos, esse é um fator que prejudica em muito a cicatrização e aumenta o risco de infecções. 

Por isso, é importante saber o que fazer em casos de feridas com esfacelo e como oferecer a esse paciente o tratamento mais adequado.

O que é esfacelo em uma ferida?

O esfacelo é um tecido necrótico que se apresenta como uma massa branca, cinza ou amarelada, que cobre a ferida e impede a cicatrização. 

Geralmente, é composto por células mortas e fluidos corporais que se acumulam na ferida. Ele pode ser duro ou macio e estar presente em diferentes camadas da pele.

É possível identificá-lo visualmente em uma ferida, mas também pode ser detectado pelo toque. Quando a ferida é tocada, o esfacelo geralmente é macio e se desfaz facilmente. 

O esfacelo é comumente encontrado em diferentes tipos de feridas, como úlceras de pressão, úlceras venosas, úlceras diabéticas, queimaduras e lesões traumáticas.

O que causa o esfacelo?

O esfacelo é causado por diferentes fatores, como falta de circulação sanguínea na área da ferida, presença de bactérias ou outros microrganismos e exposição prolongada a líquidos corporais ou a fricção constante na área da ferida. 

Mas também pode ser causado por tratamentos inadequados de feridas, incluindo o uso de curativos de forma incorreta ou a aplicação de pressão excessiva na lesão.

Como tirar o esfacelo da ferida?

A remoção do esfacelo da ferida é um processo fundamental para ajudar na cicatrização e prevenir a infecção e deve ser realizada por profissionais treinados em feridas, sendo mais indicado o enfermeiro estomaterapeuta.

Existem várias técnicas de desbridamento para remover o esfacelo da ferida. A escolha da técnica a ser utilizada depende do tipo e da gravidade da ferida, bem como da experiência e das habilidades do profissional de enfermagem.

O desbridamento autolítico, por exemplo, utiliza a própria capacidade do corpo de remover o tecido necrótico. 

Isso é feito por meio da aplicação de curativos que permitem que o corpo libere enzimas que quebram o tecido necrótico e o eliminam naturalmente. 

Essa técnica é geralmente mais adequada para feridas com esfacelo macio.

Já o desbridamento enzimático envolve o uso de soluções enzimáticas para quebrar o tecido necrótico e removê-lo da ferida. Essa técnica é geralmente utilizada em feridas com esfacelo mais espesso ou duro.

O desbridamento mecânico, por sua vez, envolve o uso de instrumentos para remover fisicamente o esfacelo da ferida. 

Isso pode ser feito por meio de curetagem ou irrigação com pressão controlada. Essa técnica é geralmente utilizada em feridas com esfacelo duro ou espesso.

E, por fim, a remoção cirúrgica do esfacelo é geralmente reservada para feridas mais graves, como queimaduras profundas ou lesões traumáticas extensas. 

Nestes casos, é necessária a atuação de um médico com experiência nesse tipo de ferida e o procedimento deve ser realizado em ambiente hospitalar.

O que usar em ferida com esfacelo?

Essa é uma dúvida muito comum entre os profissionais da enfermagem quando estão diante de um paciente nessas condições.

Como abordado anteriormente, o tratamento de feridas com esfacelo normalmente envolve o uso de curativos adequados que ajudam a remover o tecido necrótico e promover a cicatrização. 

O tipo de curativo utilizado, por sua vez, depende da gravidade da ferida, bem como do estágio de cicatrização.

Para feridas com esfacelo macio, podem ser utilizados curativos que permitem o desbridamento autolítico, como hidrocoloides ou hidrogéis. 

Esses curativos ajudam a manter a umidade da ferida e promovem a liberação natural de enzimas que quebram o tecido necrótico.

Para feridas com esfacelo mais espesso ou duro, podem ser utilizados curativos que promovem o desbridamento enzimático ou mecânico, como alginatos ou gazes impregnadas com soluções enzimáticas. Esses curativos ajudam a quebrar o tecido necrótico e removê-lo da ferida.

Além disso, é importante manter a ferida limpa e livre de bactérias. Isso pode ser feito por meio da aplicação de soluções antissépticas, como clorexidina ou iodo povidona, ou por meio da utilização de curativos antimicrobianos, como a prata.

Como tratar um paciente com esfacelo na ferida

Ao receber um paciente com esfacelo em uma ferida, o profissional da enfermagem deve seguir um protocolo adequado para o tratamento e cuidado da ferida.

Inicialmente deve realizar uma avaliação cuidadosa da ferida para determinar a extensão do esfacelo e avaliar a presença de sinais de infecção ou outras complicações. 

É importante que o profissional esteja treinado para reconhecer as diferentes características do esfacelo, como consistência, cor e odor.

Com base na avaliação, é preciso selecionar o curativo adequado para o tratamento da ferida. 

Essa etapa pode incluir a utilização de curativos que permitem o desbridamento autolítico, como hidrocoloides ou hidrogéis, ou curativos que promovem o desbridamento enzimático ou mecânico, como alginatos ou gazes impregnadas com soluções enzimáticas. 

O tipo de curativo utilizado, como vimos, depende do tipo e da gravidade da ferida, bem como do estágio de cicatrização.

Após selecionar o curativo adequado, o profissional da enfermagem deve preparar a ferida para a aplicação do curativo. 

Isso envolve a limpeza da ferida com soluções antissépticas, como clorexidina ou iodo povidona, e a remoção cuidadosa de qualquer esfacelo solto ou tecido necrótico. 

É essencial que a ferida esteja limpa e livre de bactérias para evitar infecções.

O profissional da enfermagem deve então aplicar o curativo selecionado de forma adequada, garantindo que a ferida esteja completamente coberta e protegida. É importante que o curativo seja trocado regularmente, de acordo com as recomendações do fabricante e as necessidades individuais do paciente.

Além do tratamento da ferida, é fundamental avaliar e tratar qualquer outra condição médica que possa estar afetando a cicatrização da ferida, como o controle da dor, o tratamento de infecções e a correção de problemas de circulação sanguínea.

Quer saber como ser especialista em tratamento de feridas?

Você já esteve diante de um paciente com ferida sem saber por onde começar? Ou se sentiu frustrado por não saber resolver o problema de um paciente? 

No curso de Tratamento de Feridas, você aprenderá de forma prática e objetiva:

  • Como avaliar uma ferida corretamente
  • Como escolher o melhor desbridamento
  • Quais as opções de coberturas para tratamento de infecção
  • Como proteger a pele perilesional
  • Diagnóstico Diferencial entre úlceras venosas e arteriais
  • Como escolher a melhor forma de compressão para as úlceras venosas
  • E muito mais

O curso todo é ministrado por mim, Dr. Evandro Reis, médico e enfermeiro estomaterapeuta com mais de 20 anos de experiência em cicatrização.

Atualmente, lidero uma equipe responsável por mais de cem atendimentos por dia em clínicas presenciais e serviços de Home Care.

E, ao longo da minha trajetória, já ministrei cursos de tratamento de feridas para mais de 10.000 pessoas, em 21 Estados. Se você quer se tornar especialista em cicatrização, acesse aqui o curso e garanta sua inscrição.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

3 respostas

  1. Meu dreno ficou 15 dias e na volta ao médico ele falou que era pra tirar com 8 dias e isso causou o problema na cicatrização da ferida.ele passou colagenase e explicou pouco.mas pesquisei a aparência da minha cirurgia e está amarela esfacelada. Estou fazendo curativos 2 x so dia como mandou mas esse amarelo continua apesar de está no segundo dia de tratamento. Tem como acelerar o processo? Ou é lento mesmo?

    1. Bom dia, tudo bem?
      Você é de qual região?
      Temos que marcar uma consulta para avaliarmos e indicar o melhor tratamento.
      Entre em contato no nosso whatsapp +55 11 94151-4094, vai ser um prazer te ajudar.

  2. O cara se diz médico e enfermeiro e coloca que é doutor sem ter no mínimo o Título de Doutorado. A educação no Brasil realmente saiu do controle.
    Em relação ao tratamento de escara, a conduta para tratá-la é muito subjetiva. Não existe tratamento padrão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 1 =

plugins premium WordPress
doutor-feridas-marca

Agende agora uma Consulta com um Especialista em Feridas

Temos especialistas em todo Brasil para atendimento em nossas clínicas ou em domicílio

doutor-feridas-marca

Agende agora uma consulta com um Especialista em Feridas​!

Temos especialistas em todo Brasil para
atendimento em nossas clínicas ou em
domicílio.

Aceitamos PIX, cartão ou boleto. Pagamento facilitado.