fbpx

Como tratar escaras e acelerar a cicatrização

Enfermeira cuida de paciente com escaras

As escaras, ou lesões por pressão, são um problema recorrente em pacientes acamados por longos períodos ou em cadeirantes.

Na verdade, esse termo é utilizado de forma errada, pois o significado original da palavra é tecido necrótico seco.

Como surgem as escaras

Este tipo de ferida surge do contato prolongado de partes do corpo em contato com uma superfície (o colchão ou a cadeira de rodas, por exemplo), em que a pressão exercida pelo peso do corpo prejudica a circulação sanguínea.

Por consequência, aquela região para de ser irrigada e deixa de receber nutrientes, levando ao surgimento de feridas.

Embora a principal causa seja a pressão, outros fatores podem contribuir para as escaras, como a fricção ao arrastar o paciente, cisalhamento e umidade em pacientes com incontinência urinária.

O que acontece se não tratar as escaras?

Em casos mais graves o tecido sofre necrose, que após ser removida pode expor músculos e ossos, favorecendo o surgimento de infecções, pois a pele fica vulnerável.

É comum também as escaras serem bastante doloridas em pacientes que possuem a sensibilidade preservada, dificultando o tratamento em estágios mais extremos.

Qual é o tratamento mais indicado para as escaras?

O tratamento das escaras deve sempre ser prescrito por um médico e enfermeiros especialistas e depende principalmente do estágio de evolução da ferida.

Tratamento por medicamentos

Em escaras mais superficiais, geralmente estimular a circulação de sangue no local afetado e aliviar a pressão sobre a região lesionada resolve o problema e a pele cicatriza rapidamente.

Em estágios iniciais, deve-se evitar massagear áreas hiperemiadas (onde há maior circulação de sangue).

Nesses casos, o melhor deve ser evitar a pressão local e aplicar laser após avaliação multidisciplinar. Não se pode usar soluções oleosas na pele, somente cremes hidratantes

Em casos de infecção grave, em que o paciente apresente sinais sistêmicos, deve ser coletada cultura e iniciado tratamento com antibióticos de amplo espectro, enquanto se aguarda as culturas coletadas.

O tratamento tópico da infecção, por sua vez, deve ser prontamente iniciado, o que consiste na limpeza adequada da ferida com pressão, usando jatos de soro fisiológico.

A limpeza deve ser sempre com soro morno e a pressão deve ser feita somente quando tiver sinais de infecção, evitando quando tiver tecido de granulação.

Não se deve secar a ferida, mas sim a pele em volta, mantendo-a livre de umidade para evitar a maceração da pele perilesional (em torno da lesão).

São utilizados também curativos associados com prata, polihexanida ou DAAC, dentre outros recursos para acelerar a cicatrização das feridas.

Em feridas mais profundas, existe ainda a possibilidade de usar o curativo a vácuo, chamado de terapia por pressão negativa.

Quando a pele começa a cicatrizar, é comum o surgimento de grânulos avermelhados, que lembram a superfície da amora. Esta é uma situação normal e ocorre porque a cicatrização se dá de dentro para fora.

A suplementação nutricional é outra medida essencial para potencializar a cicatrização e evitar que o paciente tenha perda muscular. Existem hoje vários suplementos nutricionais exclusivos para cicatrização.

Procedimentos cirúrgicos

Quando as escaras chegam a um estágio de gravidade maior, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica, conhecida como desbridamento.

Os tecidos mortos são removidos e o tratamento continua com curativos que favoreçam a cicatrização e sejam trocados periodicamente.

Prevenção como parte do tratamento

Uma parte importante do tratamento de escaras é a prevenção. Cuidados redobrados com o paciente evitam que as lesões apareçam e também impedem que alguma lesão superficial que já exista evolua para um grau mais avançado.

Para isso, alguns cuidados devem ser tomados:

  • Mudar o paciente de posição na cama de duas em duas horas.
  • Se o paciente for cadeirante, além da mudança de posição (da cadeira para a cama, por exemplo), pode-se praticar alguns exercícios, como se erguer da cadeira apoiando as mãos nas laterais do equipamento, caso o cadeirante tenha mobilidade para isso.
  • Usar travesseiros especiais, almofadas de espuma, botas ou colchões para reduzir a pressão. O tipo de almofada que você usa depende da sua ferida e se você está na cama ou em uma cadeira de rodas. Converse com seu médico sobre quais opções seriam melhores para você, incluindo quais formas e tipos de material.
  • Manter roupas de cama sempre limpas e esticadas, pois qualquer dobra pode entrar em atrito com a pele sensível do paciente e facilitar o surgimento de escaras.
  • Cuidar da nutrição do paciente, uma vez que a alimentação ineficiente é uma das causas do surgimento de escaras.
  • Usar roupas que não sejam nem tão justas nem tão folgadas, de tecidos macios e que facilitem a respiração da pele, como o algodão.
  • Manter a pele sempre limpa, seca e hidratada, utilizando cremes e óleos específicos.
  • Fazer uma vistoria frequente, procurando pontos em que a pele possa estar avermelhada ou com feridas superficiais.
  • Se o paciente tiver alguma doença que dificulte a cicatrização e a circulação, como diabetes, doenças circulatórias e problemas de pressão, por exemplo, o tratamento destas doenças deve ser seguido à risca para minimizar o surgimento de escaras.
  • Comer alimentos saudáveis.
  • Perder o excesso de peso.

Cuidados adicionais

Além disso, pergunte ao seu médico se não há problema em fazer alongamentos suaves ou exercícios leves. Isso pode ajudar a melhorar a circulação.

Procure também não massagear a pele perto ou sobre a úlcera, pois isso pode causar mais danos.

Seguindo estes cuidados e mantendo sempre o acompanhamento médico, o tratamento das escaras é bastante facilitado e até mesmo consegue-se evitar o aparecimento das lesões, proporcionando ao paciente maior bem-estar.

Quando procurar um médico?

Logo ao surgir as escaras, o ideal já é buscar um aconselhamento médico para evitar que as feridas se agravem e se tornem infecciosas.

Quando as escaras alcançam um estágio mais avançado, existe um risco maior da necessidade de cirurgia, algo que pode ser evitado com uma simples rotina de prevenção.

Na Doutor Feridas, contamos com um time de especialistas formado por médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde para ajudar no tratamento de escaras e outros tipos de feridas de cicatrização lenta.

Agende uma avaliação sem compromisso.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =

plugins premium WordPress
doutor-feridas-marca

Agende agora uma Consulta com um Especialista em Feridas

Temos especialistas em todo Brasil para atendimento em nossas clínicas ou em domicílio

doutor-feridas-marca

Agende agora uma consulta com um Especialista em Feridas​!

Temos especialistas em todo Brasil para
atendimento em nossas clínicas ou em
domicílio.

Aceitamos PIX, cartão ou boleto. Pagamento facilitado.