fbpx

Ferida cirúrgica: como funciona a cicatrização

enfermeira faz curativo em ferida cirúrgica na perna

Você está em fase pós-operatória e quer conhecer melhor o processo de cicatrização da ferida cirúrgica?

A seguir, vamos abordar tudo o que você precisa saber sobre:

  • As fases da cicatrização
  • Quais as possíveis complicações e como evitá-las
  • Como limpar e realizar o curativo corretamente
  • Como identificar sinais de infecções e o que fazer nestes casos
  • Tratamentos para acelerar o processo de cicatrização
  • Cuidados para minimizar cicatrizes

As 3 fases da cicatrização de feridas cirúrgicas

A cicatrização é um processo complexo que ocorre em três principais fases: 

1) Fase inflamatória

A fase inflamatória começa imediatamente após a cirurgia e pode durar até 6 dias. 

Durante essa etapa, o corpo responde à lesão cirúrgica, enviando células de defesa para o local afetado. 

Os glóbulos brancos combatem qualquer bactéria ou substâncias estranhas que possam estar presentes. 

Por isso, neste período é comum haver vermelhidão, inchaço e calor na área da ferida.

2) Fase proliferativa

A fase proliferativa ocorre após a fase inflamatória e pode durar várias semanas. Durante essa etapa, as células começam a se multiplicar e preencher a ferida. 

Os fibroblastos, células especializadas na produção de colágeno, são essenciais para a formação do novo tecido. 

Os vasos sanguíneos também se reconstroem para fornecer nutrientes e oxigênio às células em crescimento. 

Com isso, a ferida começa a se fechar, mas ainda pode ter uma aparência avermelhada.

3) Fase regenerativa

Essa terceira etapa pode levar de meses a até 2 anos para se concretizar plenamente. 

Durante essa fase, o colágeno é reorganizado e fortalecido, tornando a ferida mais resistente. 

A textura e a cor da cicatriz podem continuar a mudar à medida que ela se adapta ao ambiente circundante. 

É importante proteger a área de traumas excessivos, pois a cicatriz ainda está em processo de maturação.

Quais tipos de complicações podem haver em feridas cirúrgicas?

No caso de feridas pós-operatórias, podem ocorrer diversas complicações, caso não sejam respeitadas as boas práticas para a cicatrização.

Felizmente, para todos os tipos de problemas existem ações de correção e tratamentos especiais para acelerar a regeneração da pele.

Dentre as complicações mais comuns, estão:

Infecção da ferida: 

Ocorre quando bactérias entram na ferida, impedindo a cicatrização adequada. 

Para evitar essa complicação, é essencial manter a área limpa e seguir as orientações médicas para cuidados e troca de curativos. 

Se você notar qualquer sinal de infecção na ferida, como pus, vermelhidão, inchaço, dor excessiva ou secreção com odor desagradável, entre em contato com seu médico imediatamente.

Neste caso, será necessária a administração de antibióticos via oral e, dependendo da situação, pode haver a necessidade de desbridamento da ferida e outros procedimentos para combater a infecção.

Cicatrização Lenta: 

Algumas feridas podem demorar mais do que o esperado para cicatrizar, especialmente em pacientes com condições médicas que afetam a circulação do sangue.

Nestes casos, é fundamental relatar para o seu médico, pois será preciso adotar medidas para controlar alguma possível doença que prejudica a cicatrização

Deiscência da ferida:

A deiscência ocorre quando os bordos da ferida não se mantêm unidos, resultando em uma abertura na incisão. 

Isso pode ser causado por uma série de fatores, como tensão excessiva na ferida ou infecção. 

Evite movimentos bruscos e siga as orientações do seu médico para evitar essa complicação.

Cicatrização hipertrófica ou queloide: 

Algumas pessoas têm maior propensão a desenvolver cicatrizes hipertróficas ou queloides, que são cicatrizes elevadas e alargadas que podem ser esteticamente desagradáveis. 

Para minimizar o risco, é preciso manter a ferida protegida do sol e seguir as recomendações para troca de curativos, que veremos mais adiante neste artigo.

Complicações hemorrágicas: 

É possível ocorrer sangramento excessivo, especialmente nas primeiras horas após a cirurgia. 

Nestes casos é preciso relatar ao seu médico e seguir suas instruções em relação ao repouso, evitando atividades físicas intensas nas primeiras semanas após a cirurgia.

Cuidados iniciais com a ferida cirúrgica

Após uma cirurgia, os cuidados iniciais com a ferida são de extrema importância para garantir uma recuperação segura. 

Por isso, certifique-se de estar com as mãos devidamente higienizadas sempre que for realizar as trocas de curativo. Se possível, use luvas descartáveis neste processo.

Busque sempre manter a ferida limpa e seca, sem jamais coçar ou tocar na área com as mãos sujas, para evitar a ação de bactérias. 

Utilize apenas medicação prescrita pelo médico e não interrompa o uso sem orientação profissional.

É importante também acompanhar de perto a ferida, observando possíveis sinais de infecção. Se notar algo incomum, entre em contato com o médico imediatamente.

Outro aspecto fundamental são os cuidados nutricionais.  Por isso, evite ao máximo alimentos excessivamente gordurosos.

Consuma alimentos com vitamina C, encontrada em frutas cítricas e vegetais, que promovem a formação de colágeno, essencial para a cicatrização da pele. 

Já as proteínas, presentes em carnes magras, peixes e leguminosas, ajudam na regeneração dos tecidos. Além disso, mantenha-se hidratado, pois a água é fundamental para o transporte de nutrientes.

Como fazer curativos em feridas cirúrgicas

Como já citamos anteriormente, em primeiro lugar, é crucial lembrar que a higiene das mãos é fundamental antes de realizar qualquer procedimento em uma ferida cirúrgica. 

Portanto, lave bem as mãos com água e sabão e use luvas estéreis para evitar a contaminação. 

Além disso, prepare todos os materiais necessários, como compressas estéreis, gaze, soro fisiológico e curativos apropriados indicados pelo médico ou enfermeiro estomaterapeuta.

Comece removendo o curativo anterior com cuidado, observando se há qualquer sinal de infecção, sangramento excessivo ou secreção anormal. 

Em seguida, descarte o curativo de maneira adequada para evitar a propagação de germes e limpe a área ao redor da ferida com soro fisiológico ou uma solução salina estéril, utilizando compressas estéreis para evitar a contaminação.

Para aplicação diretamente na ferida, utilize apenas soluções indicadas pelo médico ou enfermeiro estomaterapeuta, pois cada ferida tem sua própria característica e requer um cuidado específico. 

Ou seja, não há uma solução única que servirá para todos os tipos de feridas.

Coloque uma gaze estéril sobre a ferida, cobrindo-a completamente. Certifique-se de que a gaze não esteja muito apertada para não prejudicar a circulação sanguínea.

Finalmente, fixe o curativo com um esparadrapo hipoalergênico ou fita cirúrgica, garantindo que ele esteja seguro. Isso ajudará a manter a ferida protegida e evitará que o curativo se mova. 

Siga a frequência de troca de curativos conforme a orientação médica.

Como acelerar a cicatrização de feridas cirúrgicas

Se você deseja acelerar o processo de cicatrização da ferida pós-operatória, existem diversos tratamentos associados que podem ser adotados em paralelo com os cuidados tradicionais.

Um dos mais eficazes neste sentido é a laserterapia em feridas. Neste tratamento indolor e não invasivo, a luz do laser é aplicada diretamente na ferida e ajuda a reparar o tecido e reduzir a inflamação e a dor no local.

Isso acontece devido a um efeito fotoquímico em que a luz é absorvida pelos tecidos e promove uma mudança química em nível celular. 

Como consequência disso, ocorre o estímulo do sistema imunológico e o aumento nos fibroblastos e colágeno, que é necessário para a cicatrização.

Outra vantagem da laserterapia é a minimização dos sinais da cicatriz, devido a esse processo de rápida regeneração da pele.

Dependendo do caso e do estágio da ferida, outros tratamentos complementares podem ser eficazes, como o curativo a vácuo e a oxigenoterapia hiperbárica.

Cuidados para minimizar cicatrizes

Durante e após a cicatrização completa, é possível adotar medidas para minimizar a aparência das cicatrizes. 

A principal delas é evitar exposição ao sol, pois os raios ultravioleta aumentam o escurecimento das cicatrizes. 

Se for necessário sair ao sol, utilize protetor solar na ferida após a cicatrização completa e evite a exposição direta.

O médico pode recomendar também o uso de géis específicos, bem como loções ou cremes hidratantes para evitar ressecamento e coceira. 

Se a cicatrização estiver comprometida ou se você estiver preocupado com a aparência da cicatriz, converse com um profissional de saúde de sua confiança. 

Existem diversos tratamentos específicos que têm se mostrado eficazes na redução de cicatrizes, como pomadas de silicone, géis de silicone ou adesivos de silicone.

Tem ainda a alternativa de um procedimento estético conhecido como camuflagem de cicatriz,  que visa disfarçar a aparência das cicatrizes, tornando-as menos visíveis. 

Quando procurar orientação médica em feridas pós-operatórias?

Conforme relatamos no decorrer do artigo, o paciente deve procurar o médico sempre que houver qualquer sinal de infecção ou quando a cicatrização estiver lenta.

Em clínicas especializadas como a Doutor Feridas, é possível encontrar profissionais multidisciplinares especializados em cicatrização, como médicos, enfermeiros estomaterapeutas, fisioterapeutas e outros.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =

plugins premium WordPress
doutor-feridas-marca

Agende agora uma Consulta com um Especialista em Feridas

Temos especialistas em todo Brasil para atendimento em nossas clínicas ou em domicílio

doutor-feridas-marca

Agende agora uma consulta com um Especialista em Feridas​!

Temos especialistas em todo Brasil para
atendimento em nossas clínicas ou em
domicílio.

Aceitamos PIX, cartão ou boleto. Pagamento facilitado.