fbpx

Escaras em idosos: como evitar e como tratar

Enfermeira realiza manobra em paciente acamado para evitar escaras em idosos

As escaras, também conhecidas como lesões por pressão, são um problema de saúde comum entre os idosos, especialmente aqueles que passam muito tempo imobilizados. 

Essas feridas podem causar desconforto e complicações graves se não forem tratadas corretamente. 

A seguir, vamos ver os fundamentos de como tratar escaras em idosos, com medidas preventivas e cuidados essenciais para promover uma recuperação eficaz.

Como surgem as escaras em idosos?

As escaras são lesões na pele e no tecido subjacente que ocorrem devido à pressão contínua e prolongada sobre certas áreas do corpo. 

Os idosos são particularmente suscetíveis a escaras devido à redução da elasticidade da pele, diminuição da circulação sanguínea e fragilidade dos tecidos. 

As áreas mais comuns onde as escaras se desenvolvem são aquelas que estão em contato direto com superfícies duras, como o leito ou cadeira de rodas, e onde o tecido adiposo é escasso, como os quadris, cotovelos e calcanhares.

Como evitar escaras em idosos

A prevenção é a chave para evitar o surgimento de escaras em idosos. As estratégias mais eficazes são:

Mudança de posição regular

Quando uma pessoa idosa permanece em uma mesma posição por muito tempo, a pressão constante sobre áreas específicas do corpo pode resultar em danos à pele e tecidos subjacentes.

As escaras tendem a se desenvolver em regiões de proeminências ósseas, onde a pele está em contato direto com o leito ou superfície em que o idoso se encontra. 

Áreas como o quadril, região sacral, cotovelos e calcanhares são particularmente vulneráveis. 

A mudança de posição regular envolve alternar a pressão exercida sobre essas áreas, redistribuindo o peso do corpo. 

Idealmente, os idosos não devem permanecer em uma mesma posição por mais de duas horas consecutivas. 

Isso requer a atenção atenta dos cuidadores, familiares e profissionais de saúde, que devem implementar estratégias para reorganizar a posição do paciente.

A mudança de posição regular não apenas reduz a pressão sobre áreas sensíveis, mas também promove a circulação sanguínea saudável. 

Quando o fluxo sanguíneo é obstruído devido à pressão prolongada, a falta de nutrientes e oxigênio pode levar à morte celular e ao desenvolvimento de feridas. 

Escolha de superfícies confortáveis

É fundamental selecionar um colchão que possa distribuir de maneira uniforme o peso do corpo do idoso, minimizando os pontos de pressão. 

Algumas opções são os colchões de espuma de alta densidade ou colchões de ar ajustáveis, proporcionando suporte adequado e reduzindo o risco de pressão excessiva sobre áreas vulneráveis da pele. 

Na ausência de almofadas ortopédicas, use travesseiros para apoiar os pontos mais sensíveis como os quadris, cotovelos e a região sacral.

Além disso, a avaliação da necessidade individual do idoso em relação à superfície deve considerar fatores como mobilidade, fragilidade da pele e condições médicas subjacentes. 

Controle da umidade

A umidade pode comprometer a integridade da pele, tornando-a mais suscetível a danos. 

Idosos com incontinência têm um risco maior de exposição à umidade, o que pode agravar as escaras. 

A pele deve ser inspecionada regularmente para detectar sinais de umidade, e o uso de fraldas deve ser acompanhado de perto. 

O uso de cremes barreira pode ajudar a evitar o contato direto da pele com a umidade, criando uma barreira de proteção. 

Nutrição balanceada

As escaras em idosos podem ser agravadas pela desnutrição, que afeta a capacidade do corpo de se recuperar e cicatrizar. 

Por isso, manter uma dieta equilibrada, rica em nutrientes essenciais, é fundamental para promover a regeneração dos tecidos e a prevenção de novas feridas.

Idosos com escaras frequentemente necessitam de suporte nutricional específico para acelerar o processo de cicatrização. 

Neste sentido, podem ser recomendados suplementos nutricionais desenvolvidos para promover a regeneração dos tecidos. 

Hidratação constante

Quando a pele está desidratada, torna-se mais vulnerável a danos e lesões, incluindo as escaras. 

Isso porque a falta de hidratação adequada compromete a capacidade da pele de se recuperar e cicatrizar. 

Além de beber água suficiente, a aplicação de cremes hidratantes na pele ajuda a manter sua integridade e prevenir o ressecamento.

Como tratar escaras em idosos

Se uma escara já tiver se formado, cuidados adequados são vitais para evitar complicações. 

Aqui estão os passos essenciais de como tratar escaras em idosos:

Avaliação profissional

Recorrer a um profissional de saúde capacitado é o primeiro passo para compreender a gravidade da escara e determinar o curso adequado de ação. 

Um enfermeiro estomaterapeuta, por exemplo, poderá avaliar a extensão da lesão, o estágio de desenvolvimento e o risco de complicações. 

Essa avaliação criteriosa fornece informações vitais para a seleção de intervenções precisas e personalizadas às necessidades do idoso.

Além disso, a avaliação por um médico ajuda a identificar fatores de risco individuais que podem estar contribuindo para a formação ou agravamento das escaras, como doenças associadas que prejudicam a circulação sanguínea.

Limpeza cuidadosa 

Ao limpar a área da escara, é importante evitar qualquer tipo de fricção ou esfregamento vigoroso, já que a pele danificada é particularmente sensível. 

Deve-se utilizar soluções suaves e não abrasivas, como soro fisiológico, para minimizar o risco de lesões adicionais. 

O uso de movimentos suaves, como tamponar a pele delicadamente com uma gaze ou um pano macio embebido na solução de limpeza, é recomendado. 

Além disso, secar a área com toques suaves e não esfregar ajuda a prevenir o agravamento da lesão.

Proteção da pele

O uso de cremes barreiras protetoras é uma abordagem eficaz para criar uma camada de defesa entre a pele comprometida e fatores externos que podem agravar a lesão. 

Esses cremes formam uma barreira que previne o contato direto da pele com a umidade, atrito e agentes irritantes, reduzindo assim o risco de danos adicionais.

Eles são especialmente recomendados para áreas em que a pele está mais suscetível à formação de escaras, como proeminências ósseas e regiões de contato constante com superfícies. 

O uso regular desses cremes não apenas ajuda a proteger a pele, mas também auxilia na manutenção de um ambiente propício à cicatrização. 

Curativos especializados

O uso de curativos especializados desempenha um papel importante na abordagem eficaz das escaras em idosos, garantindo a promoção da cicatrização, prevenção de infecções e alívio do desconforto do paciente. 

A escolha do tipo de curativo depende do estágio da escara, localização da lesão e das características individuais do paciente. 

Vamos explorar alguns dos tipos mais comuns de curativos especializados e suas aplicações práticas:

  • Curativos de espuma: são altamente absorventes e são frequentemente usados em estágios iniciais das escaras, quando a pele está danificada, mas ainda não há úlcera aberta. Eles ajudam a manter a área limpa, absorvendo o excesso de umidade e exsudato.
  • Hidrocoloides: são ideais para escaras que já evoluíram para úlceras abertas, ajudando a criar um ambiente úmido que promove a cicatrização, enquanto também oferecem proteção contra infecções.
  • Filmes transparentes: são finas películas adesivas que permitem a visualização da ferida. Eles são frequentemente usados em estágios iniciais de escaras ou quando a ferida é superficial.
  • Curativos com alginato de cálcio: para escaras com exsudato excessivo, os curativos de alginato de cálcio são uma opção, pois absorvem o líquido da ferida, auxiliando na limpeza e prevenção de infecções. 

Tratamento de infecções

No processo de tratamento de escaras em idosos, os sinais de infecção devem ser prontamente reconhecidos e tratados. 

A abordagem começa com a consulta a um profissional de saúde que avaliará a gravidade da infecção e prescreverá a terapia apropriada. 

Geralmente, isso envolve a administração de antibióticos orais ou intravenosos para combater a infecção e prevenir sua disseminação.

Além do tratamento farmacológico, é importante adotar medidas para controlar a infecção localmente na área da escara, como a troca regular de curativos, utilizando materiais absorventes e antimicrobianos, conforme orientação médica. 

Tratamentos associados para acelerar a cicatrização de escaras em idosos

Além do tratamento convencional, existem algumas terapias já validadas mundialmente e reconhecidas por acelerar a cicatrização de escaras.

As principais delas são:

Terapia por pressão negativa (curativo a vácuo)

Na terapia por pressão negativa (também conhecida como curativo a vácuo), um curativo especial é aplicado sobre a ferida e conectado a um sistema de vácuo. 

Isso cria um ambiente controlado que ajuda a remover o excesso de fluidos e promove a circulação sanguínea na área afetada. 

A estimulação do fluxo sanguíneo contribui para a oxigenação dos tecidos e a remoção de detritos, auxiliando na regeneração do tecido saudável.

Laserterapia

A laserterapia é outra opção não invasiva que tem sido explorada no tratamento de escaras em idosos. 

Nesse método, a luz laser é aplicada na ferida, estimulando as células a produzir energia em forma de ATP, que é essencial para a cicatrização. 

Além disso, a laserterapia aumenta o fluxo sanguíneo local, reduz a inflamação e acelera a formação de tecido novo. 

Uso de oxigênio hiperbárico

O oxigênio hiperbárico é uma terapia em que o paciente respira oxigênio puro em uma câmara pressurizada. 

Esse tratamento pode aumentar significativamente os níveis de oxigênio nos tecidos, favorecendo a cicatrização. 

O oxigênio extra disponível na corrente sanguínea contribui para a formação de colágeno, que é essencial para a regeneração dos tecidos danificados. 

Embora seja menos comum, essa terapia pode ser benéfica em certos casos de escaras.

A importância de uma equipe multidisciplinar para tratar escaras em idosos

O tratamento eficaz de escaras em idosos requer uma abordagem multidisciplinar. 

Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e nutricionistas desempenham papéis cruciais na prevenção, tratamento e recuperação. 

Em clínicas especializadas, como a Doutor Feridas, equipes multidiscilplinares atuam diretamente na cicatrização, trazendo segurança e agilidade a esse processo.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + três =

plugins premium WordPress
doutor-feridas-marca

Agende agora uma Consulta com um Especialista em Feridas

Temos especialistas em todo Brasil para atendimento em nossas clínicas ou em domicílio

doutor-feridas-marca

Agende agora uma consulta com um Especialista em Feridas​!

Temos especialistas em todo Brasil para
atendimento em nossas clínicas ou em
domicílio.

Aceitamos PIX, cartão ou boleto. Pagamento facilitado.