Escaras: o que é, sintomas e tratamento

Imagem mostra médico realizando curativo para tratamento de escaras em paciente acamado

Escaras são um tipo de ferida, também conhecidas como úlceras de pressão, lesão por pressãoou úlceras de decúbito.

Normalmente, elas surgem em pessoas que passam longos períodos deitados ou sentados, como idosos, pacientes hospitalizados ou com limitações de locomoção.

Como surgem as escaras?

Quando alguém passa um longo tempo na mesma posição, sem se mover, o objeto onde ela está deitada ou sentada exerce pressão sobre seu corpo – sobre a pele, articulações (juntas) e ossos.

Com isso, a circulação nesses locais que sofrem pressão fica prejudicada e os tecidos param de receber sangue e nutrientes.

Assim, a região começa a se deteriorar, podendo sofrer necrose e deixar expostos até mesmo músculos e ossos, em estágios mais graves.

Existem grupos de risco para o surgimento de escaras?

Pacientes hospitalizados, idosos e cadeirantes são os mais sujeitos ao aparecimento destas lesões, uma vez que sua mobilidade é reduzida.

Além disso, pacientes com desnutrição, diabetes e problemas circulatórios pré-existentes têm mais risco de desenvolver este tipo de ferida.

Isso acontece porque a circulação e a falta de nutrientes nas áreas que sofrem pressão, em contato com o local onde a pessoa se encontra deitada ou sentada, são as principais causas do surgimento das escaras.

Pessoas com incontinência urinária e fecal, pacientes com níveis de consciência e sensibilidade reduzidos também correm mais risco de desenvolver estas lesões.

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina, que pode ocorrer por esforço (ao fazer exercício, tossir ou espirrar), pela vontade repentina de urinar ou por bexiga hiperativa, dentre outros.

Quais são os sintomas das escaras?

As escaras se desenvolvem pouco a pouco, e de dentro para fora.

Normalmente começa com uma vermelhidão na pele ou nas articulações, podendo evoluir para uma bolha cheia de líquido e depois para uma ferida com uma crosta arroxeada, com presença de nódulo.

Se o paciente tiver sensibilidade na região da escara, sentirá bastante dor.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito de maneira relativamente simples: observando a pele do paciente.

As escaras aparecem em regiões específicas do corpo – aquelas com maior contato com o colchão ou a cadeira de rodas, por exemplo – e qualquer alteração nessas áreas pode sugerir o surgimento de uma escara.

Além disso, mesmo em seus estágios mais avançados, a ferida é bem característica.

Como auxiliar no diagnóstico, se necessário, pode-se fazer uma biópsia.

As escaras podem ser classificadas em quatro estágios, de acordo com a sua evolução:

  • Estágio 1 – a pele apresenta vermelhidão acentuada (hiperemia) e a lesão atinge apenas a parte mais superficial dos tecidos. Tende a desaparecer rapidamente se a pressão sobre o local for aliviada.
  • Estágio 2 – é a fase da isquemia. Podem surgir bolhas nas regiões afetadas, pequenos esfolados ou até mesmo um orifício superficial.
  • Estágio 3 – necrose – a parte mais profunda da pele e os músculos são afetados. Pode haver um nódulo no local e surge uma ferida arroxeada, podendo apresentar uma crosta.
  • Estágio 4 – ulceração – é a fase mais grave de uma escara. Pele e músculos são destruídos e os ossos podem ficar expostos.

Qual é o tratamento indicado?

Tudo vai depender da extensão da ferida. Dependendo do estado da lesão, pode-se recorrer a medicamentos como antibióticos e uso de curativos específicos.

Escaras de estágio 4 podem precisar de intervenção cirúrgica, com remoção dos tecidos mortos e enxertos de pele para facilitar a cicatrização do local e fechamentos das lesões.

É muito importante que se inicie o tratamento tão logo seja feito o diagnóstico de escaras, uma vez que a possibilidade de infecção através dessas feridas é bem alta.

O tratamento da lesão, normalmente, engloba:

  • Limpeza adequada da ferida e remoção de todo tecido morto
  • Tratamento tópico da infecção de forma adequada
  • Suplementos nutricionais
  • Alívio da pressão local

Como prevenir o aparecimento de escaras?

A prevenção é a principal arma contra o surgimento deste tipo de ferida, assim como iniciar o tratamento logo nos primeiros estágios das lesões.

  • É muito importante utilizar colchões e almofadas adequadas para acomodar o paciente, como o colchão casca de ovo, que inibe a pressão excessiva sobre a pele, ou colchões de água, ar, assim como almofadas de silicone e gel. As almofadas são especialmente úteis para acomodar regiões com maiores pontos de pressão.
  • Mudar o paciente de posição a cada duas horas também é muito importante para evitar o aparecimento das escaras.
  • Manter a pele sempre hidratada, limpa e seca, utilizando produtos como o óleo de girassol (Dersani).
  • Trocar sempre a fralda do paciente, não excedendo períodos maiores que quatro horas.
  • Ter uma alimentação rica em proteínas, sempre que possível, e com alimentos que facilitam a cicatrização da pele.
  • Beber bastante líquido para melhorar a hidratação do organismo de dentro para fora.
  • Cadeirantes paraplégicos podem fazer uma manobra conhecida como push,usando os braços para erguer o tronco da cadeira por alguns minutos, e fazer uso de almofadas apropriadas para proteger os pontos de pressão.
  • Usar roupas confortáveis, de preferência de algodão e que não façam dobras ao sentar.
  • Usar sempre roupas de cama de algodão, bem esticadas, sem dobras que possam fazer atrito com a pele e facilitar o surgimento de escaras.
  • Fazer fisioterapia, seja passiva ou ativa.
  • Durante o banho/higiene, nunca esfregar a pele com força.
  • Examinar sempre o corpo, buscando alguma vermelhidão, principalmente nos pontos de contato do corpo com o colchão ou a cadeira, e procurar ajudar médica para iniciar o tratamento, caso necessário.

O mais importante quando se trata de escaras é cuidar para que o paciente tenha a maior mobilidade possível, trocando de posição sempre, facilitando a circulação sanguínea e mantendo a pele sempre limpa e hidratada e verificar qualquer alteração da pele.

O diagnóstico precoce evita que o paciente sofra com dores e tratamentos mais invasivos e demorados.

Quando devo procurar um médico?

Logo aos primeiros sinais de escaras é fundamental procurar a ajuda de um médico ou enfermeiro estomaterapeuta.

Na Doutor Feridas, contamos com uma equipe multidisciplinar especializada em feridas formada por médicos, enfermeiros e fisioterapeutas.

Agende aqui uma consulta sem compromisso para fazermos uma avaliação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.